Os tipos de parto, saiba mais para escolher o melhor para você

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Sabe sobre os tipos de parto?

O bebê vai nascer, o grande dia está para chegar? E a vontade de ver o rostinho dele…

Vamos ver quais são os tipos de parto e qual a característica de cada um.

Na gravidez da Lorena, eu não senti nada, porque foi uma cesária agendada com 39 semanas.

Cheguei no hospital, me preparei e na hora agendada pelo médico, ela nasceu.

Já na gravidez dos gêmeos Rafa e Felipe, a bolsa estourou junto com muito sangue, fiquei nervosa.

Liguei para o meu médico, que me encaminhou para uma emergência, resultado, era hora dos meninos nascerem e foi na correria.

Fique atenta

O tampão que bloqueia o colo do útero sairá da vagina com uma coloração similar a do sangue.

No meu caso, saiu com muito sangue, mas o meu médico disse que seria como uma borra de café.

Pode acontecer do tampão sair dias antes do parto, neste caso, preste atenção nas dores características do trabalho de parto.

E se a bolsa estourar…

O rompimento da bolsa sai como um jato de água que escorre como se você estivesse fazendo xixi.

Sinal que está na hora de ir direto para a maternidade.

Chegou a hora, sim chegou.

Ligue para o médico e informe sobre as contrações.

Eu não senti da Lorena, mas dos meus meninos, a contração aconteceu e olha que dor.

Dê atenção ao intervalo das contrações.

A medida que elas ficarem menos espaçadas, fortes e frequentes, você estará em trabalho de parto.

Quando cheguei no hospital, entrei direto para a sala de um obstetra que estava de plantão.

Ele me examinou e pediu para me preparar que estava no hora dos meninos nascerem.

No meu caso, o parto foi de emergência, tudo corrido e uma equipe enorme por conta dos gêmeos.

O médico fará alguns exames e conversará sobre as contrações.

Avaliação Médica

O médico irá fazer um exame de toque, para verificar a dilatação do colo do útero.

A enfermeira medirá sua pressão, pulsação e temperatura.

Para o bebê, o médico irá apalpar a barriga para avaliar o batimento cardíaco com um doppler.

Exame muito importante, pois ele estará verificando se o bebê está recebendo a quantidade certa de oxigênio durante as contrações.

Tipos de Partos

Escolher o tipo de parto é uma decisão importante e deve estar alinhada aos critérios médicos, para que o bebê venha ao mundo de forma segura.

Os mais comuns são cesariana e normal, mas existe outros tipos como: Parto em casa, na água, entre outras.

Cesariana

O médico indica quando motivos clínicos como: infecção herpética ativa, desproporção do tamanho do bebê em relação à pelve feminina, gestantes diabéticas, trabalho de parto não progredindo normalmente e posição do bebê invertida e difícil, entre outros.

Mas na realidade, existe no Brasil existe um alto índice de cesarianas, pois é mais cômodo para a gestante e o obstetra, pois assim consegue agendar o dia e a hora do nascimento diferente do parto espontâneo.

Para a cesária, a anestesia mais utilizada é a peridural, mas em alguns casos, é necessária a anestesia geral.

Um incisão horizontal de 15 a 20 cm, é realizada acima dos pelos púbicos.

Ao alcançar o bebê, o anestesista retira suavemente. A equipe remove a placenta e examina, assim como o bebê.

O corte é então fechado com pontos e o procedimento acontece mais ou menos em 30 minutos.

A recuperação é mais demorada do que o parto normal, porque trata-se de uma cirurgia, por isso, é preciso alguns dias de internação.

E atenção, mesmo em casa, lembre-se que passou por uma cirurgia, é preciso ter cuidados para evitar complicações.

Partos Vaginais

É considerado, o mais ideal para a mulher e o bebê, pois existe menor risco de complicações para ambos.

Vantagens para mulher

  • Menor risco de hemorragias e infecção;
  • Recuperação mais rápida;
  • Maior disposição para amamentar;

Vantagens para o bebê

  • Não tem o risco de ser retirado antes da hora da barriga da mãe;
  • Sofre menos problema respiratórios;
  • Menor risco de adquirir doenças, exemplo: infecções;

Parto Normal

É todo parto que acontece pela vagina e no qual não é utilizado nenhum instrumento cirúrgico para a saída do bebê, trata-se de um nascimento espontâneo.

O parto admite o uso de anestesia (peridural, raquidiana ou local) e um eventual corte na vagina chamado de episiotomia.

Trata-se de o método mais antigo de dar a luz.

Os benefícios não se limitam somente a mãe, mas também ao bebê que recebe um aviso biológico de que está na hora de nascer.

Parto Natural

Este praticamente não tem intervenção humana, tudo ocorre por conta da natureza.

O médico só acompanha a evolução do parto, não há nenhum procedimento de anestesia, soro e nem episiotomia.

A única atuação do médico, é ouvir periodicamente o coração do bebê e realizar alguns toques vaginais para saber como está progredindo a dilatação do colo do útero.

Parto na Água

Método surgiu nos anos 70. Geralmente as mulheres optam por este tipo de parto devido aos benefícios que ele proporciona a mãe e ao bebê.

Nele a gestante é colocada dentro de uma banheira com água, numa temperatura entre 36º e 37º C durante o trabalho de parto.

A gestante pode ficar na água durante as contrações e sair para ter o bebê ou permanecer até o bebê nascer.

Benefícios

  • Relaxamento produzido pela água quente e o alívio do peso que diminui ao entrar na água, facilita a movimentação e a descido do bebê na pelve.
  • O maior deles é o feito analgésico da água sobre as contrações;
  • Outro benefício, é a participação do pai que pode ficar junto da mãe quando o bebê nascer transmitindo carinho e confiança;

Parto de Cócoras

Mais utilizado pela população indígena, a mulher fica de cócoras, geralmente numa cadeira especial.

As principais vantagens desta posição vertical são:

  • Compressão dos vasos sanguíneos;
  • E aproveita o máximo a força da gravidade (que diminui o tempo de expulsão), para facilitar a saída do bebê.

Parto Vaginal Cirúrgico

As vezes toda a força que mãe faz não é suficiente para o bebê nascer.

Neste caso, pode se utilizar um instrumento chamado fórceps, funciona como uma pinça com duas grandes colheres que se adaptam a cabeça do bebê para puxá-lo, é o outro é vácuo extrator, que se fixa na região posterior da cabeça como uma ventosa.

São instrumentos utilizados com segurança, mas só devem ser utilizados para evitar sofrimentos da mãe e do bebê e ainda nas raras situações em que sua aplicação é mais vantajosa do que a cesária.

Para ficar tranquila com relação a decisão a tomar, converse com o seu médico para eliminar medos decorrentes da falta de informação e estar segura para hora tão esperada que é o nascimento do bebê.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta