Comida de Bebê, um livro com muitas dicas para introdução alimentar

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Comida de Bebê, vamos lá, vou dar uma dica que achei muito legal e me ajuda bastante no meu dia a dia com as crianças.

Comprei o livro da Rita Lobo, Comida de Bebê, Editora Senac – São Paulo, e amei as dicas e resolvi compartilhar com vocês.

Tem muita informação sobre os alimentos, receitas.

Dicas importantes no que podemos oferecer para cada fase e como prepará-las de forma saudável.

Introdução Alimentar

Aqui em casa, a introdução alimentar da Lorena começou aos 04 meses, primeiro as frutinhas e com 05 meses a papinha.

Já o Rafa e o Felipe começaram um pouco mais tarde, com 05 meses a frutinha e 06 meses a papinha salgada.

Isso só aconteceu antes dos 06 meses, porque não mamaram exclusivamente o leite materno.

Eu adorava fazer as papinhas, no início segui a orientação da pediatra com carne de músculo, um legume branco, verde e laranja.

Procurava variar dentro do possível para não ficar muito repetitiva.

Na segunda fase, já comecei a variar mais os legumes e as proteínas com frango desfiado e ovo.

Quando completaram 01 ano, a pediatra orientou que poderia dar a mesma comida da família e foi ai que comprei o livro.

Aqui procuramos variar os legumes e verduras.

Além disso, uso pouco sal na comida e quando queremos um pouco mais de tempero, separamos primeiro a dos meninos.

O livro Comida de Bebê

No livro da Rita Lobo, ela indica um alimento de cada grupo, com alimentação equilibrada e completa.

O que ela chama de Pê-e-finho dos bebês.

O que eu procuro seguir e tem ajudado a família também a ter uma alimentação boa e equilibrada, principalmente para a Lorena, que já está maior e cheia de escolha.

Mas na real, tem dia que não funciona, mesmo preparando um prato cheio de cores.

Ela não come, peço pelo menos para experimentar, senão gostar, tentamos de uma outra forma, as vezes ela aceita e outras de jeito nenhum.

Já os meninos ainda não recusam, tudo que tenho dado, eles comem bem.

Vamos lá, vou compartilhar algumas dicas do livro que achei super interessante

A ideia do Pê-efinho e trazer um cereal (ou tubérculo), um feijão (ou outra leguminosa), uma carne (ou ovo) e pelo menos uma verdura ou legume.

E fruta como sobremesa, eu aqui, só dou na hora da frutinha, que acontece pela manhã e no meio da tarde.

Vamos então, aos grupos alimentares:

Tabela dos Grupos Alimentares:

  1. Verduras e Legumes: São alimentos ricos em vitaminas, minerais e fibras. Só não pode ser crua, devido ao risco de engasgo.
    1. Exemplos: Cenoura, abobrinha, abóbora, brócolis, chuchu, couve, couve-flor, espinafre, pimentão, rabanete.
  2. Feijões: São alimentos que fornecem proteínas, ferro, carboidratos e fibras.
    1. Exemplos: Feijão (todos os tipos), ervilha, lentilha e grão de bico.
  3. Cereais e tubérculos: Ricos em carboidratos, esses alimentos fornecem energia e proteína.
    1. Exemplos: arroz, milho, macarrão, batata, mandioca, inhame, cará e aveia.
    2. Eu dou bastante aveia em flocos misturada nas frutinhas para os meus meninos
    3. Tem uma receita aqui no blog de Pão de Inhame Caseiro.
  4. Carnes e ovos: As carnes (incluindo miúdos como fígado) têm muito ferro e zinco, essenciais para o crescimento e vitamina B12, responsável pelo desenvolvimento neurológico.
    1. E são ótimas para prevenir anemia.
    2. Eu costumo comprar peito de frango sem antibióticos para as crianças que acho mais saudável e com relação a carne de porco e miúdos, ainda não dei para os meninos.
    3. A Lorena, também não tem o costume de comer. Exemplos: Frango, boi, peixe, porco, ovos.
  5. Frutas: Assim como as verduras e legumes, são fonte de vitaminas, minerais e fibras.
    1. Exemplos: Banana, maçã, laranja, mamão, abacaxi, abacate, pera, entre outras.
  6. Aqui em casa, a Lorena não come todas as frutas, mas tento dar pelo menos as que aceita comer como:
    1. Morango que ela adora, banana, uva sem caroço e o melão, essas ela aceita numa boa.
  7. Já o Rafa e o Felipe, comem bem as frutas que ofereço.

Conversei com a pediatra numa das consultas, porque quando mais bebês oferecia as frutas amassadas, porque sempre tive medo de engasgo.

Agora que estão maiores já comem em pedaços e sozinhos, só fico perto monitorando senão irão colocar uma grande quantidade na boca ou até mesmo engasgar.

Cuidados com os alimentos

Outra informação importante, é que devemos ter cuidado com carnes cruas e malpassadas, pois podem causar diarreia e pelo risco de contaminação.

Já para o ovo, devemos ter cuidado para não dar cru e está liberado a partir dos 06 meses.

Dica, a clara e a gema estão completamente cozidas depois de 12 minutos de cozimento em água fervente.

O sódio, que é um dos principais componentes do sal, deve ser um ponto de atenção.

Segundo a recomendação da Organização Mundial de Saúde, que seja uma ingestão máxima de 2 gramas de sódio por dia.

Usamos pouco sal no preparo da comida e nenhum tipo de tempero que não seja alho e sal para dar a comida dos meus meninos.

Conservação

E quanto a validade, aqui preparamos todos os dias, mas uma preparação cozida dura até 3 dias na geladeira e três meses no congelador.

Achei super válida também, já que as vezes, na correria do dia a dia ou numa viagem precisamos preparar antes para dar aos bebês.

Para a janta, eu mantenho a comida dos meninos naqueles potes de vidro com fechamento a vácuo na parte mais alta da geladeira e tudo separado.

E a porção que sobrou do prato não sirvo novamente.

Uso do microondas com moderação e cuidados.

Evitando utilização de embalagens de plástico que não são próprias e que podem liberar compostos químicos que podem parar no alimento.

O ideal é usar utensílios de vidro ou cerâmica e que não tenha decoração.

Outro ponto importante é com a temperatura.

Evitar esquentar demais, que além de queimar a boquinha do bebê, a comida vai sofrer com a perda de nutrientes.

Experimentando novos alimentos

E quanto aos alimentos novos, as vezes não querem de jeito nenhum né.

Li no livro que de acordo com os estudos clínicos publicados em 2014 pela American Academy of Pediatrics.

As crianças precisam ser expostas, em média, de oito a dez vezes a um novo alimento para aceitá-lo.

Tarefa difícil, com os meninos está sendo mais fácil do que com a Lorena.

Ela por exemplo, até hoje não come mamão de jeito nenhum, mesmo eu tentando de diversas formas.

O livro tem muitas informações importantes, traz a rotina de alimentação de cada fase.

Dicas, preparos e receitas para cada grupo alimentar.

Como as frutas, legumes e verduras, feijões, cereais e tubérculos, carnes e ovos, muito completa e ajuda muito no dia a dia.

Além disso, tem várias receitas e dicas de preparos e armazenamentos.

Aqui abaixo deixo o link do site para quem quiser saber mais sobre o livro Comida de Bebê.

Quer saber aonde encontrar. Saiba mais aqui!

Livro: Comida de Bebê

Autora: Rita Lobo

Editora: Senac – SP / Panelinha

Espero que tenham gostado da dica…Bjs!

 

 

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
Anúncios

Deixe uma resposta