E quando temos que escolher !! Carreira vs Maternidade

Chega um momento que precisamos tomar decisões importantes na vida que não são fáceis…e este ano de 2018, eu tive que tomar uma difícil decisão da minha carreira.

Ao longo dos últimos 19 anos me dediquei a uma carreira comercial no mundo corporativo, um trabalho com metas, pressão de resultados, viagens e desafios.

Aprendi muito, conheci muitas pessoas bacanas, fiz uma grande rede de relacionamentos, fiz cursos em instituição renomadas, tive grandes conquistas, decepções, enfim tudo isso faz parte, não é mesmo e assim crescemos e amadurecemos.

A primeira decisão aconteceu há 07 anos, para realizar um grande sonho de ser mãe, optei por não aceitar uma promoção na empresa, porque teria que mudar de cidade e não seria uma boa ideia para mim naquele momento, já estava com 34 anos e não queria adiar mais o sonho de ser mãe.

Naquela época tinha um gerente muito bacana que soube entender o meu momento e um outro, que entendeu também o motivo da negativa, as coisas se ajeitaram e continuei trabalhando na mesma função que estava.

E foi assim até que finalmente, consegui engravidar da Lorena, quanta alegria, fiquei com receio de contar no trabalho, mas a notícia foi muito bem recebida e consegui conciliar a gravidez e o trabalho, sem problemas.

Como trabalhava na área comercial e viajava muito, trabalhei assim até o 07 mês, a partir do 8 mês, comecei a trabalhar somente em Home Office, para evitar problemas e seguir bem até o final da gravidez.

Lorena nasceu, fiquei 06 meses de licença maternidade e mais 01 mês de férias, mas quando retornei a minha carteira de clientes não existia mais, precisei voltar numa nova área de atuação e viajava mais ainda, embora muito cansativo, optei por ir e voltar no mesmo dia, para não ficar longe dela.

Resultado, rodava mais ou menos de 200 a 250 Km por dia, só para não dormir fora de casa, fiquei assim, mais ou menos uns 7 meses, até me colocarem de novo, numa região mais próxima de casa.

Mas com a chegada da Lorena, as prioridades profissionais já começaram a mudar, tinha horário mais apertado para voltar das viagens, pois tinha que pegá-la até 02 anos, na casa da minha mãe, depois na creche.

Sempre administrando o horário de trabalho, que muitas vezes, era fora da minha cidade, para ir e voltar dentro do horário para buscá-la, o que sempre revezei com o meu marido, e assim segui por 5 anos.

Me comprometia com os meus compromissos profissionais e tentava ao máximo evitar trabalhar quando chegava em casa, emboras as vezes, era difícil e vamos combinar, que sabemos que para a mulher, não ficamos só nos filhos, temos casa para administrar, trabalho, casamento e o cuidado com nós mesmos, ufa…tanta coisa.

E assim continuei na empresa, que passou por muitas mudanças de estrutura, fui me adaptando a cada uma delas, mas como a vida é cheia de surpresa, depois de tentar por 02 anos, consegui engravidar de novo e recebi a grande notícia que seriam gêmeos.

Descobri a gravidez deles no dia 27 de Janeiro e que eram gêmeos somente em Março, ao fazer a primeira ultra morfológica, mas nem por isso, deixei de trabalhar e cumprir com as minhas obrigações.

Trabalhei viajando até o início do 7 mês, quando pedi para parar e comecei a trabalhar mais próxima da minha base e Home Office.

No dia que os meninos nasceram, fiz uma ultra pela manhã, trabalhei a tarde e quando foi a noite a bolsa estorou ou seja, trabalhei até o último dia…e mesmo com os meninos no hospital, quando tive alta, fiz todo um resumo do que estava negociando e tratando para o meu gerente, para não deixar ninguém na mão.

Os meninos nasceram prematuros, com 35 semanas, embora tenham nascido com um peso considerado bom para gêmeos, foi preciso levá-los para UTI NeoNatal.

A licença maternidade começou a partir daquele dia 15 de Agosto de 2017 e só retornaria dia 05 de Março.

Já li algumas matérias que estão tentando aprovar uma lei, que a licença maternidade, para quem tem bebês prematuros e ficam internados, passe a contar no dia da alta o que eu acho super justo.

Além disso, para gêmeos, deveria ser licença dobrada rsss para a mãe e para o pai, já que cuidar de dois bebês ao mesmo tempo sozinha, para mim pelo menos, foi tarefa impossível.

Consegui ficar 06 meses de licença maternidade e mais 20 dias de férias, só retornando dia 05 de Março deste ano.

Depois de me dedicar por 16 anos e meio nesta mesma empresa, surpresa, a área comercial passou por mais uma reestruturação e a minha vaga foi preenchida e quando retornei, a opção que eu tinha para voltar a trabalhar, era me mudar para o Rio de Janeiro.

Vocês podem imaginar o que é mudar de cidade com 03 crianças pequenas, sendo duas delas, bebês gêmeos com quase 07 meses, sem conhecer uma escola, creche ou alguém com boas referências para trabalhar na minha casa e tomar conta das crianças, além de todo custo que teria para me mudar, mas a transferência de emprego do meu marido, não aceitei é claro.

Resultado disso, me deram uma segunda opção, Angra dos Reis, que seria o mesmo problema, tentei uma realocação em outro instituição do grupo e não consegui e acabei sendo desligada por falta de vaga na minha cidade.

Olha ai, anos de dedicação e tive que escolher uma mudança de cidade, mesmo sabendo que com a negativa desta opção, correria o risco de ser desligada senão me realocassem, mas optei pelo que considerava ser o melhor para mim e para os meus filhos.

A chegada dos filhos, nos faz mudar muito, as decisões passam a ter um peso maior, porque não estamos sozinha, acabamos por viver muitos conflitos, porque queremos estar presente na criação deles a todo momento.

Se estamos fora seja numa viagem de negócios, numa reunião de trabalho ou exercendo a nossa função, temos que depender de outras pessoas para ajudar na logística da casa e deles, se ficam doentes e estamos longe, bate o desespero, de saber como estão.

Eu me lembro de quando a Lorena, caiu na creche com 02 anos e quebrou o dedo e quando me ligaram estava trabalhando em Nova Iguaçu, que desespero que eu fiquei, na mesma hora liguei para o meu marido levá-la para o hospital e vim embora desesperada. Haja coração.

E aquela gracinha, primeiros passos ou apresentação da escola, que deixamos de ver, porque estamos no trabalho, dá uma vontade de jogar tudo para o alto e ficar só cuidando deles.

E a vontade de fazer algo diferente, a construção de uma carreira profissional, ficamos tentando equilibrar trabalho e maternidade sempre, acho importante é saber realmente o que nos faz feliz, porque a nossa cobrança é muito grande.

E saber que tudo faz parte do aprendizado deles e nosso também, na minha opinião, não é a quantidade de tempo que ficamos e sim a qualidade e atenção que damos a eles.

Qual mulher não sentiu culpa alguma vez, porque teve que decidir em estar presente em todos os momentos da vida dos filhos e deixar uma carreira de lado ou ficar distante para se destacar como profissional e perder momentos preciosos da vida deles.

Se equilibrar todos os dias entre a vida pessoal e profissional, não é tarefa fácil para nós.

Mas cada dia que passa tenho certeza que fiz a melhor escolha, pois não era uma boa opção a proposta que eu tinha, confesso, que não teria coragem de pedir demissão para ficar em casa com eles, mas já que aconteceu assim, comecei a pensar, no que poderia fazer para estar presente e trabalhar perto.

Vejo vários exemplos de mulheres que mudam de carreira, muitas começam a empreender após a maternidade, para que possam continuar trabalhando e estarem perto dos filhos, porque querem ou por que não tem alguém para ajudar, algumas não conseguem nem trabalhar, porque não tem opção de deixar as crianças com alguém.

Fui buscar e estudar e passei alguns meses, planejando o que poderia fazer de novo e estou aqui hoje contando para vocês o que me parece ser um novo recomeço.

Pra mim, ter um equilíbrio de carreira e maternidade, é muito importante. Preciso estar feliz no que faço, para cuidar bem dos meus filhos e mostrar o caminho para serem felizes.

Então, bora ser feliz. Quem mais se identifica…Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s